quarta-feira, 15 de maio de 2013

"Blueberry L'Intégrale" volume 2

Capa.


Blueberry – Intégrales

Roteirista: Jean-Michel Charlier
Desenhista: Jean Giraud

Segundo volume do integral de “Blueberry”, uma das maiores séries de HQ, por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud, e um fantástico western.

Segunda obra de “L’Intégrale Blueberry”. No fim dos anos 1960, Jean-Michel Charlier e Jean Giraud estão em plena posse de suas aptidões roteirísticas e gráficas, e, sobre o fundo de guerras indígenas, eles oferecem ao leitor um surpreendente western em história em quadrinhos e um herói, Mike Steve Donovan. Esse último, a exemplo de seu sósia, Bebel, torna-se o ícone de uma geração rebelde.

Segundo postigo do integral de “Blueberry”: uma edição com tiragem limitada, em grande formato e em papel Munken, com um dossiê completo de numerosos documentos sobre a gênese da série; a quinta essência do western em HQ.

Fonte: Dargaud Éditeur.

Uma das maiores séries de aventuras de todos os tempos, enfim em integral, que presta uma homenagem mais que merecida a dois gênios da história em quadrinhos.

Fonte: Librairie Decitre.


Ficha técnica

“Blueberry L'Intégrale” volume 2
“Le Cavalier perdu” – “La Piste des Navajos” – “L’Homme à l’étoile d’argent”
Roteiros: Jean-Michel Charlier
Capa e desenhos: Jean Giraud
Cores: Claude Poppé
Volume: 2
Data de publicação: 30 de agosto de 2013
Número de páginas: 150
Gênero: Western
Preço: 29,99 €
Formato: 24,0x32,0 cm
Público: adolescente e adulto - a partir de 16 anos
Editora: Dargaud Éditeur



Página 1.


Página 2:


Caro leitor,

Esse segundo volume de “L’Intégrale Blueberry”, previsto em 9 volumes, retoma as páginas da série tais quais foram publicadas em “Pilote” de 29 de abril de 1965 a 15 de setembro de 1966. Portanto, nós partimos novamente  das cores originais da época. Igualmente, nós reorganizamos as páginas na ordem exata de publicação no hebdomadário, e corrigimos certos balões voltando a partir do texto datilografado original de Jean-Michel Charlier.

Por conseguinte, nós vos desejamos uma maravilhosa leitura de uma
das obras mais míticas da história em quadrinhos.

O editor tem muito particularmente a agradecer a
Isabelle Giraud e Philippe Charlier
 por sua colaboração e seu apoio sem falhas.

 _______________________________


Le Cavalier perdu tem sido pré-publicado em “Pilote Hebdo”,
 do nº 288 de 29 de abril de 1965 ao nº 311 de 7 de outubro de 1965.
Primeira edição em álbum em 1968 na Dargaud.

La Piste des Navajos tem sido pré-publicado em “Pilote Hebdo”,
do nº 313 de 21 de outubro de 1965 ao nº 258 de 24 de março de 1966.
Primeira edição em álbum em 1969 na Dargaud.

L’Homme à l’étoile d’argent tem sido pré-publicado em “Pilote Hebdo”,
do nº 337 de 7 de abril de 1966 ao nº 360 de 8 de setembro de 1966.
Primeira edição em álbum em 1969 na Dargaud.


Página 3. Início do artigo de José-Louis Bocquet (página 3 a 14).


Página 4. Legenda da imagem: A capa de "Pilote" nº 236 de 
30 de abril de 1964. A série ainda não se chamava "Blueberry".


Página 5.



O número 144 de “Star-Cine Bravoure” (1968), em cujo Giraud se inspirou para a capa de “L’Homme à l’étoile d’argent”.

N. C.: As capas do álbum e da revista são expostas verticalmente, em coluna, na página 14.


As capas e as pranchas 1 dos três álbuns que compõem o volume 2 de "Blueberry L'Intégrale”

 

"Blueberry" nº 4 "Le Cavalier perdu" © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur 1968



 

"Blueberry" nº 5 "La Piste des Navajos" © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur 1968



 

"Blueberry" nº 6 "L'Homme à l'étoile d'argent" © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur 1969


Contracapa.


Fonte: CHARLIER, Jean-Michel, GIRAUD, Jean. L’Intégrale Blueberry tome 2. Paris, França: Dargaud Éditeur, 2013.



O volume 2 da coleção “Blueberry L’intégrale”, também chamada de “Blueberry Intégrale”, apresenta três histórias da série “Blueberry”: "Le Cavalier perdu" (“O Cavaleiro Perdido”) e "La Piste des Navajos" (“A Pista dos Navajos”) - as quais integram, juntamente com "Fort Navajo" (“Forte Navajo”), "Tonnerre à l'Ouest" (“Tempestade no Oeste”) e "L'Aigle solitaire" (“A Águia Solitária”), o Ciclo Forte Navajo. As Primeiras Guerras Indígenas - e "L'Homme à l'étoile d'argent" ("O Homem da Estrela de Prata"), episódio fora d ciclo. É a terceira coleção de integrais de “Blueberry”, lançada pela Dargaud: a primeira foi “Blueberry”, em 1985, e a segunda “Blueberry”, em 2010, inicialmente, em parceria com o jornal “Le Soir”, na Bélgica, depois na França.




"Blueberry" Nº 4 "Le Cavalier perdu", capa de uma das reedições.

"Le Cavalier perdu" - "O Cavaleiro Perdido"

Esse episódio foi publicado na revista "Pilote" entre 29 de abril e 7 de outubro de 1965, e lançado em álbum em 1968, é o quarto volume do ciclo Forte Navajo. As Primeiras Guerras Indígenas (álbuns 1 a 5) - Arizona, Novo México e Texas. Junho de 1867 a Maio de 1868. Acontecimentos históricos: Negócio Bascom, As Guerras Indígenas e A Construção do Caminho de Ferro. As cores da reedição de junho de 2002 são de Claudine Blanc-Dumont, colorista dos álbuns feitos por seu marido, Michel Blanc-Dumont, para "A Juventude de Blueberry".

Jijé auxiliou, pela segunda e última vez, o seu ex-discípulo Gir, o qual estava ao seu nível ou até o superava, desenhando 21 pranchas dessa história, cujo título, "O Cavaleiro Perdido", aludia ao Tenente Graig, que foi salvo pelo seu colega de farda, o Tenente Blueberry.

Surge Jimmy Mac Clure, um garimpeiro de prata, velhote, baixinho, barrigudo, beberrão, cheio de trapalhadas e muito corajoso, que se tornará o primeiro parceiro de Mike Steve, sendo seu amigo e companheiros de aventuras na grande maioria dos álbuns da série central, tendo tido 18 anos de vida editorial – de "O Cavaleiro Perdido" (1968) até "O Fim da Pista" (1986).

A Abril Jovem lançou o álbum em dezembro de 1990, em cores, e sempre com a numeração atrasada: número 3 X número 4 da série francesa. A editora usou as expressões "túnicas azuis" para designar os soldados norte-americanos e "Nariz Quebrado" para Blueberry, ao invés de "Nariz Partido" conforme a editora portuguesa Meribérica intitulou anos antes o álbum "Nez Cassé" (França, 1980). Nariz Partido – Tsi-na-pah – é o apelido dado pelos Apaches a Blueberry, devido seu nariz quebrado pelo General Dodge na série paralela "A Juventude de Blueberry".


A destacar a participação do mestiço Crowe, ex-tenente da Cavalaria, que salva Blueberry e Jimmy do poste dos martírios e da vingança de Quanah. E ainda os ex-combatentes sulistas, Capitão Finlay e Cabo Kimball, que também salvam, juntamente com um grupo de "jay-hawker", a dupla de "pards", dessa vez da forca, no México.



"Blueberry" Nº 5 "La Piste des Navajos", capa de uma das reedições.

"La Piste des Navajos" - "A Pista dos Navajos"

Quinto e último álbum do Ciclo Forte Navajo. As Primeiras Guerras Indígenas (álbuns 1 a 5) - Arizona, Novo México e Texas. Junho de 1867 a Maio de 1868. Acontecimentos históricos: Negócio Bascom, As Guerras Indígenas e A Construção do Caminho de Ferro. Uma das edições da Meribérica, editora portuguesa, é dos anos 1980. A Editora Abril Jovem publicou como o volume 4, em cores, seguindo a numeração atrasada um número em relação à série francesa, devido à publicação do álbum 1, "Forte Navajo", na série "Graphic Novel" – uma espécie de pré-lançamento de "Blueberry".

Jimmy Mac Clure, primeiro parceiro de Blueberry, aparece, na capa, correndo ao lado do Tenente, com o seu tradicional charuto na boca. A cena representa a ação na qual Blueberry salva Jimmy de um incêndio total da vila fantasma mineira de San Felix.

Blueberry, enfim, acerta as contas com Quanah, a Águia Solitária, que havia assassinado covardemente o seu amigo Crowe. O chefe Cochise, que reaparecerá em "Nariz Partido" (primeiro álbum do Ciclo do Segundo Complô. O Crepúsculo da Nação Apache e a Reabilitação de Blueberry), decide que os dois duelarão amarrados pelos punhos, com machadinhas, no histórico círculo da morte – Blueberry vinga o amigo e escalpela Quanah, tal qual como esse fizera com Crowe.


Os desertores do exército sulista, Finlay e Kimball, têm participação ativa na aventura. Os dois "jay-hawkers" reaparecerão no Ciclo Chihuahua Pearl. O Tesouro dos Confederados.


"Blueberry" Nº 6 "L'Homme à l'étoile d'argent", capa de uma das reedições.

"L'Homme à l'étoile d'argent" - "O Homem da Estrela de Prata"

Fora de Ciclo Blueberry Xerife. O primeiro retorno à vida civil em "O Homem da Estrela de Prata" - Arizona. Verão de 1868. Esse álbum é um dos oito, do total de 28 da série central, que não tem 46 páginas; os outros sete são: "O General Cabeça Amarela" (48 páginas), "O Espectro das Balas de Ouro" (52), "Balada para um Caixão" (62), "O Fora da Lei" (44), "Nariz Partido" (47), "Arizona Love" (56) e "Dust" (68).

Primeira história blueberryana lançada no Brasil, em fevereiro de 1976, pela Editora Abril, em uma edição especial, em cores, e em duas versões – brochura e cartonada. A capa é distinta daquela francesa, pois traz quatro quadrinhos da aventura. Texto da contracapa: "Forte Navajo. Em 1962, quando voltava de uma viagem que fez ao oeste dos Estados Unidos, o cenógrafo franco-belga Jean-Michel Charlier "sentiu" toda a epopeia do faroeste. Com o auxílio do excelente desenhista Jean Giraud criou esta história em quadrinhos cujo protagonista é o Tenente Blueberry. Em um pequeno local situado na zona Apache, o Forte Navajo, o tenente dos "casacos azuis" vive suas emocionantes aventuras no melhor e mais fiel estilo do western cinematográfico. Esta história faz parte de uma série que se tornou famosa como uma das melhores criações em quadrinhos dos tempos atuais."

A Editora Abril Jovem relançou, "O Homem da Estrela de Prata", em março de 1992, sendo o número 1 da segunda série, dessa vez em preto e branco. O último álbum da primeira série, "Blueberry", fora publicada em janeiro de 1991, mais de um ano antes.

O título mudou de "Blueberry" para "Tenente Blueberry" e esse foi o editorial para essa reestréia: "Arrependam-se, incréus, ímpios, descrentes, céticos, pirrônicos e incrédulos que não botavam fé e até duvidavam! Eis que ressurge Blueberry, criando e desfazendo confusão no Oeste como se nada tivesse acontecido – para alegria dos leitores fiéis que, durante a ausência do tenente nas bancas, foram todos pressão, via telefone, telex, cartas e ataques diretos à redação. Ok, cowboys! Vocês venceram! O Homem da Estrela de Lata segue a cronologia da produção da dupla Charlier/Giraud. Trata-se de uma aventura independente, imediatamente posterior à saga indígena, e que prepara o terreno para o início de um novo ciclo, do caminho de ferro, com início marcado para a edição que vem. Fãs incondicionais do gênero bangue-bangue reconhecerão nas páginas seguintes algumas semelhanças com o clássico Onde Começa o Inferno (Rio Bravo), filme de Howard Hawks. O xerife acossado pelo bando de criminosos – John Wayne, nas telas – é substituído por um encrenqueiro, velho conhecido nosso..."

Após o Ciclo das Primeiras Guerras Indígenas, das quais participou, o velho parceiro blueberryano, Jimmy Mac Clure, passa por Silver Creek, uma cidadezinha isolada do Arizona, a dois dias de Forte Navajo, aonde os irmãos Sam e Bud Bass, os poderosos, apavoram o local com o seu bando, que assassina o Xerife.

Jimmy fala tão bem de Mike Blueberry, que alguns moradores assinam uma carta pedindo ao comandante do forte que o enviasse para substituir o Xerife. O Tenente é envolvido sem ser consultado e, no lugarejo, usando trajes militares com civis, assume a missão e quase namora a valente mocinha Katie Marsh, bela e destemida professora, com direito à despedida romântica, só faltando um beijo.


Afrânio Braga


Fontes das imagens: Dargaud Éditeur: capa e páginas 1, 3, 4 e 5 de "Blueberry L'Intégrale" volume 2 e capas de uma das reedições dos álbuns 4, 5 e 6 da série "Blueberry". Bedetheque: capa e contracapa de "Blueberry L'Intégrale" volume 2, capas e páginas 1 das primeiras edições dos álbuns 4, 5 e 6 da série "Blueberry". Mister Jacq: imagens das páginas 14 e 15 de "Blueberry L'Intégrale" volume 2.


"Blueberry L'Intégrale" volume 2 © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur 2013






3 comentários:

  1. Belas capas e ótimas informações! Esse Blog do Blueberry, veio na hora certa Afrânio!

    ResponderExcluir
  2. Luiz,
    em junho próximo, teremos mais novidades no blogue Blueberry, uma lenda do Oeste.

    ResponderExcluir