segunda-feira, 17 de junho de 2013

Inspirações de Charlier e de Giraud para "Blueberry"


Inspirações de Charlier e de Giraud para “Blueberry


"Blueberry, Legião Invencível"

Jean-Michel Charlier escreveu algumas histórias de “Blueberry” inspiradas em filmes western. Em “Forte Navajo”, 1963, primeira história da série, o roteirista se inspirou em “She Wore a Yellow Ribbon” (“Legião Invencível”), dirigido por John Ford, 1949, em cuja trama os tenentes Ross Penell (Harry Carey Jr.) e Flint Cohill (John Agar) disputam as atenções de Olivia Dandridge (Joanne Dru), sobrinha do comandante do forte - os dois oficiais são tipificados respectivamente pelos tenentes Blueberry e Graig, que disputam as atenções da filha do comandante Dickson – o quê atrapalha, no filme, a missão do capitão Nathan Cutting Brittles (John Wayne).




À esquerda: Tenente Ross (Harry Carey Jr.) e Olivia (Joanne Dru). À direita: Tenente Flint (John Agar) e Olivia.



À esquerda: os tenentes Blueberry e Graig começam a disputa por Muriel Dickson em "Forte Navajo". Acima: Capitão Nathan Cutting Brittles (John Wayne), Olivia (Joanne Dru), Tenente Ross (Harry Carey Jr.) e Tenente Flint (John Agar) em "Legião Invencível".



"Blueberry, no Tempo das Diligências"

Uma das inspirações de Jean-Michel Charlier para o roteiro de "Forte Navajo", a primeira história da série "Blueberry", foi o flime "Stagecoach". Na página 8, Blueberry, com a sela, é recolhido por uma diligência, em cujo teto se instala, exatamente como Ringo Kid (John Wayne) no western que John Ford realizou em 1939.

"Stagecoach" ("No Tempo das Diligências", no Brasil; "A Cavalgada Heróica", em Portugal; "La Chevauchée fantastique", na França) é um filme de 1939, clássico do gênero western, dirigido por John Ford. O roteiro é de Dudley Nichols e Ben Hecht, uma adaptação de "The Stage to Lordsburg", conto de Ernest Haycox. Foi o primeiro dos muitos clássicos do cinema que John Ford realizaria no Monument Valley, Arizona, na fronteira com Utah, Estados Unidos. Após esse filme, John Wayne se tornou um astro internacional de Hollywood.



A origem do título da série "Blueberry"


Inicialmente, o próprio Forte Navajo seria, da série, o personagem principal, cujo, depois, se tornou Michael Stephen Donovan, mais conhecido por Mike Steve Blueberry. Os dois criadores, Jean-Michel Charlier e Jean Giraud, decidiram mudar o título da série de "Forte Navajo, uma Aventura do Tenente Blueberry" para "As Aventuras do Tenente Blueberry", deste para "Tenente Blueberry", até o atual "Blueberry". Foi Jean Giraud quem escolheu o nome do Tenente mais amado do Oeste, ao ler a palavra "Blueberry" no sumário do volume XXIX, número 6, da revista "National Geographic". Na história em quadrinhos, foi o próprio Blueberry quem escolheu o seu nome, no episódio "O Segredo de Blueberry", publicado em "Super Pocket Pilote" nº 2, outubro de 1968, e republicado no primeiro volume da série "La Jeunesse de Blueberry", 1975, quando, para se livrar de uma injusta acusação de homicídio, ao se juntar ao exército nortista, viu diversos arbustos repletos de mirtilos (blueberry, em inglês). Um grande agradecimento a Jean-Yves Brouard pela imagem da revista.




Mike "Jean-Paul Belmondo" Blueberry



O visual do ator francês Jean-Paul Belmondo foi a inspiração, de Jean Giraud, para aquele do tenente Mike Blueberry.


Mike "Bébel" Blueberry

Jean Giraud se inspirou, novamente, em Jean-Paul Belmondo, apelidado de Bébel, para a ilustração da contracapa dos álbuns do Tenente Blueberry, utilizada de "Tonnerre à l'Ouest", número 2, 1966, a "Le bout de la piste", número 22, 1986, passado por quatro editoras: Dargaud (do Nº 2 ao Nº 18), Fleurus (Nº 19), Hachette (Nº 20 e Nº 21) e Novedi (Nº 22). Em "Arizona Love", número 23, 1990, a Alpen Publishers publicou um Blueberry cowboy. Do número 24 até o 28, a Dargaud usou um desenho de Blueberry no traje elegante do Ciclo O.K. Corral. O Rei do Pôquer. Em "Fort Navajo", Nº 1, 1965, a Dargaud publicou a logomarca e a lista dos álbuns de "La Collection Pilote".





Chefe "Jeff Chandler" Cochise

Jean Giraud se inspirou no visual do ator Jeff Chandler, no filme "Broken Arrow" ("Flechas de Fogo"), dirigido por Delmer Daves, 1950, para aquele do chefe Cochise, apache chiricahua, em "Forte Navajo".



Mike "Mézières" Blueberry



Jean Giraud se inspirou, para realizar a histórica página de guarda da série "Blueberry", em uma fotografia de Jean-Claude Mézières - desenhista de "Valérian", sob roteiros de Pierre Christin -, seu grande amigo desde a juventude, quando esse trabalhou como vaqueiro em Dugout Ranch, Utah, Estados Unidos, 1966. "Blueberry sou eu! Ao meu retorno, Giraud utilizou minha foto para as páginas de proteção de seus álbuns." - conta Mézières, um dos mestres da Bande Dessinée.
"Zack" Nº 19

A guache de "Águia Solitária" redesenhada, por Jean Giraud, para a capa da publicação alemã "Zack", número 19. A revista alemã "Zack" publicou a história "Aufruhr im West" ("Tempestade no Oeste"). A história "L'aigle solitaire" ("Águia Solitária" - o índio Quanah, no canto inferior esquerdo da capa), foi publicada no formato álbum, na França, em 1967; antes, havia saído, em capítulos, na revista "Pilote".



"Poor lonesome cowboy"


Na revista “Pilote” Nº 285, de 8 de abril de 1965, o final de “L’Aigle solitaire” (“A Águia Solitária”) anunciou erradamente que o episódio seguinte seria “La Piste des Apaches” e não o correto “Le Cavalier perdu” (“O Cavaleiro Perdido”); as primeiras edições, em álbum, mantiveram o erro, que foi corrigido, também erradamente, para "La Piste des Navajos", episódio seguinte a "Le Cavalier perdu", até, finalmente, ter esta última história, a correta, anunciada - "Le Cavalier perdu".
“La Pista des Apaches” (“A Pista dos Apaches”) é uma história inexistente na série “Blueberry”, há “A Pista dos Navajos” e “A Pista dos Sioux”, ambas publicadas, pela Editora Abril, no Brasil. No último quadrinho de “L’Aigle solitaire”, vemos o Tenente Graig a cavalo, rumo ao nascente, cena inspirada, por Jean Giraud, no tradicional final de Lucky Luke, "poor lonesome cowboy" criado por Morris, cavalgando rumo ao poente.



Mike "Troy Donahue" Blueberry

Jean Giraud se inspirou no ator Troy Donahue, como o Tenente Matthew Hazard, no cartaz do filme norte-americano "A distant trumpet" (“Um Clarim ao Longe”, no Brasil; “A Carga da Brigada Azul”, em Portugal; “La charge de la 8e brigade”, na França), dirigido por Raoul Walsh, lançado em 1964, para uma ilustração do Tenente Blueberry no anúncio, publicado em "Pilote" nº 305, 29 de agosto de 1965, do episódio "Le Cavalier perdu" (“O Cavaleiro Perdido”) em curso na revista semanal.





"Blueberry. Rio Bravo"

Jean-Michel Charlier se inspirou no filme "Rio Bravo" ("Onde Começa o Inferno"), 1959, dirigido por Howard Hawks, para escrever o roteiro de "L' Homme à l'étoile d'argent" ("O Homem da Estrela de Prata"), 1969.

Um clássico western: "Onde Começa o Inferno". John Wayne é John T. Chance, xerife de uma pequena cidade do Texas, Rio Bravo, prestes a enfrentar um bando de pistoleiros, contando com um quarteto inusitado: um bêbado (Dean Martin), um velho resmungão (Walter Brennan), um jovem e inexperiente pistoleiro (Ricky Nelson) e uma bela garota (Angie Dickinson).

"O Homem da Estrela de Prata": Xerife Blueberry, em um fora de ciclo da série, enfrentando um bando de pistoleiros com a ajuda de um velho resmungão e bêbado, Jimmy Mac Clure, um jovem e inexperiente pistoleiro, Dusty, e uma bela professora, Katie Marsh - o xerife Harrison, assassinado no início da história, também aludi ao bêbado, no filme, Dude (Dean Martin), auxiliar do xerife.



Mike "James Philbrook" Blueberry

Para a capa do álbum "L'Homme à l'étoile d'argent" ("O Homem da Estrela de Prata"), 1969, Jean Giraud se inspirou naquela da revista "Star-Ciné Bravoure" Nº 144, de 01/10/1968, "Un pistolet à la main" ("Uma Pistola na Mão"), cuja fotografia publicada é uma cena do filme "Dos mil dolares por Coyote" ("Dos Mil Dólares por Coyote"), 1966, dirigido por León Klimovsky. Na capa do volume 6, o então Xerife Blueberry é substituído pelo ator James Philbrook, que interpreta Sam Foster no longa metragem espanhol; as únicas diferenças, entre os dois personagens, são a cor do chapéu, a estrela e a pistola.

 


"O Homem da Estrela de Prata"

A célebre ilustração da capa de "L'homme à l'étoile d'argent" ("O Homem da Estrela de Prata"), feita por Jean Giraud:


E duas variantes, uma sem data e a outra de 2009, para particulares:



Xerife "John Wayne" Harrison

Jean-Michel Charlier escreveu o roteiro de "L' Homme à l'étoile d'argent" ("O Homem da Estrela de Prata"), inspirado naquele de “Rio Bravo” (“Onde Começa o Inferno”), e, juntamente com Jean Giraud, homenageou John Wayne, o Xerife John T. Chance, no filme, com o seu rosto naquele de Harrison, personagem presente da página 5 a 8, Xerife de Silver Creek, cidadezinha isolada a dois dias de cavalo de Forte de Navajo.











Juiz "Charles Laughton"

Jean Giraud se inspirou no ator anglo-americano Charles Laughton para realizar o visual do Juiz de Silver Creek, vilarejo isolado, no Arizona, a dois dias de Forte Navajo, palco de “O Homem da Estrela de Prata”.












Mike "Gary Cooper" Blueberry

Jean Giraud
 se inspirou em uma cena do clássico western “High Noon” ("Matar ou Morrer", título no Brasil; “O comboio apitou três vezes”, em Portugal; “Le train sifflera trois fois”, na França), dirigido por Fred Zinnemann, lançado em 1952, com Gary Cooper, que foi usada em um dos cartazes do filme, para desenhar Mike Blueberry, também xerife, no quadrinho 7 da prancha 23 de “L’Homme à l’étoile d’argent” (“O Homem da Estrela de Prata”), história pré-publicada na revista semanal “Pilote”, de abril a setembro de 1966, e publicada no volume 6 da série “Blueberry” em 1969.

 



Os vaqueiros "John Wayne" e "Dean Martin"

Jimmy McClure, ajudante do Xerife Blueberry, em Silver Creek, na história “O Homem da Estrela de Prata”, desarma dois vaqueiros, cujos visuais foram inspirados, por Jean Giraud, naqueles dos atores John Wayne e Dean Martin no filme “Rio Bravo” (“Onde Começa o Inferno”).








Os Três Companheiros

Jean-Michel Charlier começou a participação, em “Blueberry”, de Jimmy McClure em "Le Cavalier perdu" (“O Cavaleiro Perdido”) - 1965, em "Pilote"; 1968, em álbum -, e de Red Neck em "Le Cheval de fer" (“O Cavalo de Ferro”) - 1966, em "Pilote"; 1970, em álbum -, reconstruindo o trio de companheiros, Buck Danny, Sonny Tuckson e Jerry Tumbler, de “Les Aventures de Buck Danny” (desenhos de Victor Hubinon, depois Francis Bergèse), série, sobre aviação militar, publicada de 1947 até hoje.





"Le Cheval de fer"

Jean Giraud fez a capa do álbum "Le Cheval de fer" ("O Cavalo de Ferro"), Dargaud Éditeur, 1º trimestre de 1970, modificando somente alguns detalhes da locomotiva do mesmo desenho publicado na capa da revista "Pilote" nº 370, 24 de novembro de 1966, em cuja se iniciava essa nova aventura de Blueberry.




"Le Cheval de fer"

Eis, à esquerda, a capa da revista “Pilote” nº 370 anunciando a estreia da pré-publicação da história “Le Cheval de fer”, e, à direita, aquela do álbum consecutivo. É a mesma ilustração, mas nós não vemos algumas diferenças? Ao nível das cores, certamente, mas eu não falo disso...:



Eu acrescento, aqui, o original da ilustração do álbum:





























De fato, eu não tenho feito senão notar uma diferença importante, mas eu não sei concretamente como tem sido realizado o segundo desenho.

Além de algumas diferenças nas tonalidades (diferenças que podem ser ligadas às dosagens das cores para tal e tal impressora), a diferença principal é, em efeito, o equipamento todo à frente da locomotiva, que se chama caça-búfalos ou caça-bovinos (é para evitar que os grandes animais, como os bisões em particular, passem sob as rodas da locomotiva, mas aquilo pode também afastar as grandes pedras caídas sobre os trilhos – ou colocadas por alguns maus que querem parar um trem -, de onde também o nome de caça-pedras). Diz-se também apara-bovinos, para os automóveis e os 4x4, por exemplo, mas, ali, eles são mais grandes para-choques.

Certamente que a perspectiva do caça-búfalos na capa de “Pilote” não está boa e não deve ter agradado posteriormente, e com razão, a Jean Giraud, que ele tem devido refazê-la para o álbum unitário, sabendo que a mesma ilustração devia servir ao álbum. O quê eu não sei, é se Giraud tem totalmente refeito sua ilustração ou se – é antes minha opinião, porque isso parece mais simples e lógico – ele tem apenas refeito o equipamento caça-búfalos, por um retoque.

Quanto à assinatura deslocada, ela era demais baixa na primeira ilustração como na segunda, por isso, para que ela aparecesse sobre a capa do álbum, ele tem precisado remontá-la (é, entre outros indícios, o deslocamento da assinatura exatamente ao mesmo lugar da ilustração de “Pilote” e sobre o original refeito que me incita a pensar que a mesma ilustração original tem servido para o álbum, mas com um retoque do caça-búfalos).

Exato, em uma época longínqua, os coloristas eram sempre surpreendidos pelo resultado de seus trabalhos uma vez publicados (ainda hoje, aliás, mas muito menos que na grande época heroica onde se podia ver tudo e seu contrário...).

No entanto, enquanto continuando a dizer que eu suponho, com uma forte probabilidade, que Giraud tem partido da pintura original para retocar o caça-búfalos, eu suponho também que Giraud tem devido aproveitar para fazer alguns retoques de cores aqui e ali (por exemplo, no reflexo do grande farol à frente).

Aqui duas verdadeiras locomotivas similares, sob o mesmo ângulo que a capa:




As locomotivas correntes nos Estados Unidos da América, à época de Blueberry (aquela não era a época de todo começo, mas mesmo assim, no dia seguinte da Guerra de Secessão, se era ainda no período de testes empíricos e das melhorias constantes), são do tipo 4-4-0 (por conseguinte: sem vagão plataforma na traseira), de cujas eis um esquema exatamente padrão:


Fonte: Jean-Yves Brouard.


Jethro "Jack Palance" Steelfingers

Jean Giraud se inspirou em Jack Palance no cartaz de "The Desperados" ("Os Bandidos do Texas"), 1969, filme dirigido por Henri Levin, para a capa de “L'Homme au poing d'acier" (“O Homem do Punho de Aço”), volume 8, 1970, e também para compor o visual de Jethro "Dedos de Aço" Diamond, chamado ainda de "Steelfingers".



Guffie "Shelley Winters" Palmer

Em “L’Homme aux poings d’acier” (“O Homem do Punho de Aço”), surge Guffie Palmer, inspirada, com o corpo exagerado, por Jean Giraud, em Shelley Winters, de “Revanche Selvagem” (“The Scalphunters”), filme de Sidney Pollack, com Burt Lancaster e Telly Savalas, 1968.


Após ter participado do Ciclo do Cavalo de Ferro. As Segundas Guerras Indígenas, Guffie Palmer reaparece no Ciclo Prosit Luckner. O Ouro da Sierra. Abaixo, o reencontro de Mike Blueberry com Guffie Palmer em "A Mina do Alemão Perdido". Ela retorna no Ciclo do Primeiro Complô Contra Grant. A Decadência de Blueberry ("O Fora da Lei" e "Angel Face").




Little Bear & Shield

A fotografia de referência do célebre pôster Scandecor feito por Jean Giraud: Little Bear & Shield (dois irmãos de Little Raven), Arapaho, 1867.


O pôster, desenhado em 1971, foi publicado pela Dargaud Éditeur em "L'Univers de Gir", 1986.


Mike "Ralph Taeger" Blueberry

Para a capa de “La Piste des Sioux" (“A Pista dos Sioux”), volume 9, 1971, Jean Giraud se inspirou em Ralph Taeger, interpretando Hondo Lane, no telefilme "Hondo e os Apaches" ("Hondo and the Apaches", 1967), dirigido por Lee H. Katzin - os dois primeiros episódios da série televisiva foram editados para o formato de filme.



"Le Général Tête Jaune"

O General George Armstrong Custer foi a inspiração para Jean-Michel Charlier criar o General Allister, que apareceu, pela primeira vez, em “La Piste des Sioux” (“A Pista dos Sioux”) – 1967, em “Pilote”; 1971, em álbum -, história anterior a “Le Général Tête Jaune” (“General Cabeça Amarela”) – 1968, em “Pilote”; 1971, em álbum. “Cabeça Amarela” era o apelido dados pelos índios ao General Allister por causa dos seus cabelos loiros.



"Le Spectre aux balles d'or"

Para a capa de "Le Spectre aux balles d'or" ("O Espectro das Balas de Ouro"), 1972, Jean Giraud se inspirou no quinto quadrinho da prancha 22 - ou vice-versa. Na cena, o Espectro observa, à distância, Blueberry e Jimmy McClure acampados nos Montes da Superstição.



Wally "Spencer Tracy" Blount

Jean Giraud se inspirou no ator norte-americano Spencer Tracy para compor o visual de Wally Blount, caçador de recompensas, participante do Ciclo do Ouro da Sierra ("A Mina do Alemão Perdido" e "O Espectro das Balas de Ouro"), 1972.




"Chihuahua Pearl"

Jean Giraud se inspirou no visual de sua esposa, Claudine Giraud, para compor aquele de Chihuahua Pearl, a famosa cantora loira, cujo nome verdadeiro era Lily Calloway. Entretanto, a inspiração para a capa do álbum "Chihuahua Pearl", 1º trimestre de 1973, foi a publicidade do creme dental Ultra Brite em "Pilote" nº 674, de 5 de outubro de 1972.



Chihuahua "Rita Scherrer" Pearl

Há três versões de inspirações, de Jean Giraud, para a capa do álbum "Chihuahua Pearl": duas em dois anúncios do creme dental Ultra Brite e uma no rosto de Rita Scherrer, atriz e modelo europeia dos anos 1960 e 1970.

 

 


Chihuahua "Claudine Brigitte Marilyn" Pearl

A primeira esposa de Jean Giraud, Claudine, foi a musa inspiradora  do visual de Chihuahua Pearl, que, certamente, também apresenta traços das atrizes Brigitte Bardot e Marilyn Monroe.


À esquerda: "Chihuahua Pearl", 1973. À direita: Claudine, Jean e os dois filhos, 1974.





À esquerda: Brigitte Bardot. À direita: Marilyn Monroe.


Jean Giraud se inspirou em Claudine Giraud, a sua esposa, para compor o visual de Lily Calloway. Contudo, a célebre namorada de Blueberry, mais conhecida como Chihuahua Pearl, teve a sua primeira aparição, no álbum "Chihuahua Pearl", 1973, inspirada na atriz estadunidense Jayne Mansfield, também célebre, loira e bela, em atuação na comédia western "The Sheriff of fractured jaw" (“Apuros de um Xerife”, título no Brasil; “Le Blonde et le Shérif”, na França), dirigida por Raoul Walsh, lançada em 1958.



Lily Calloway

Lily Calloway, conhecida por Chihuahua Pearl, cantora e dançarina, namorada de Mike Blueberry, teve o seu visual inspirado no da primeira esposa de Jean Giraud, Claudine, e também naqueles das atrizes Jayne Mansfield, Marylin Monroe e Brigitte Bardot. Do quadrinho 1 da prancha 2 de "Ballade pour un cercueil" ("Balada para um Caixão") – 1972, em “Pilote”; 1974, em álbum -, com Pearl sendo observada por Trévor, coronel sulista e seu esposo, Giraud fez outro desenho, para a Mœbius Production, com  a bela loira dessa vez observada por Blueberry, em pé, à direita.




Homenagem de Jean Giraud a Jean-Michel Charlier

Na prancha 7, quadrinho 2, de “Chihuahua Pearl” (Chihuahua Pearl”), álbum publicado em 1973, Jean Giraud homenageou Jean-Michel Charlier com as iniciais desse, JM, na parede da cela, acima do joelho direito do preso Mike Blueberry.



Porres de Jimmy McClure

Jean-Michel Charlier tirou Jimmy McClure do porre com um mergulho na água: em “Chihuahua Pearl” (“Chihuahua Pearl”), álbum publicado em 1973, prancha 15, Blueberry lança Jimmy em um decantador de garimpo na concessão para prospecção de ouro do velho garimpeiro; em “La Longue Marche” (“A Longa Marcha”), álbum publicado em 1980, prancha 3, Red Neck lança o parceiro beberrão em um cocho para os cavalos. Desenhos de Jean Giraud.

"Chihuahua Pearl", página 15, 1973.
"La Longue Marche", página 3, 1980.


Capitão "Richard Harris" Finlay

Richard Harris, ator inglês, no papel do capitão confederado Benjamin Tyreen em "Major Dundee" ("Juramento de Vingança", título no Brasil), filme de Sam Peckinpah, lançado em 1965, inspirou Jean Giraud na definição do visual do Capitão Finlay, também militar confederado, no Ciclo Chihuahua Pearl. O Tesouro dos Confederados. O Capitão Finlay aparece pela primeira vez, no Ciclo Forte Navajo. As Primeiras Guerras Indígenas, com um visual distinto daquele da sua segunda participação na série "Blueberry".






"Ballade pour un cercueil"

Jean Giraud realizou a capa de "Ballade pour un cercueil" ("Balada para um Caixão"), álbum publicado em 1974, inspirado em uma cena de "The searchers" (“Rastros de Ódio”, título no Brasil; “A Desaparecida”, em Portugal; "La prisonnière du désert", na França), filme de John Ford, lançado em 1956, com John Wayne (Ethan Edwards) e Jeffrey Hunter (Martin Pawley) na pista dos Comanches, que haviam raptado duas sobrinhas de Ethan, de cujas sobreviveu Debbie Edwards, interpretada por Natalie Wood.



A mesma imagem, em preto e branco, do filme "Rastros de Ódio".


"Ballade pour un cercueil"

A influência do pintor americano Maxfield Parrish (1870-1966) na obra de Jean Giraud é vista nas cores da ilustração da capa de "Ballade pour un cercueil". Fonte: Alexander, Pauillac, França.



"Le Hors-la-loi"

Condenado no início de "Le Hors-la-loi" ("O Fora da Lei") – 1973, em “Pilote”, com o título “The Outlaw”; 1974 em álbum -, Blueberry é acompanhado fora de sua prisão como Kirk Douglas em "There Was a Crooked Man" ("Ninho de Cobras", título no Brasil; “Le Reptile”, na França), filme western comédia dirigido por Joseph L. Mankiewicz, lançado em 1970, ...

 

... e libertado após um ataque de trem que lembra aquele de "Rio Lobo", filme western dirigido por Howard Hawks, lançado em 1970, com John Wayne, Jennifer O'Neill, Jorge Rivero, Jack Elam, Christopher Mitchum, Sherry Lansing e grande elenco. Mais duas incursões de Jean-Michel Charlier no cinema western para realizar um roteiro do Tenente Blueberry.

 


"Angel Face"

As fotografias de referência para a capa de "Angel Face", álbum publicado em 1975, foram extraídas de uma edição da revista "Lui", publicada nos anos 1970, por Jean Giraud, da seção de moda em Paris. O desenhista utilizou duas fotografias de Francis Giacobetti: da primeira, utilizou o homem; da segunda, o sofá.




Cartaz de "Angel Face"

Jean Giraud fez a ilustração de um cartaz para “Angel Face” (“Angel Face”), álbum publicado em 1975, inspirado no quadrinho 5 da prancha 21 da história, que teve o roteiro, de Jean-Michel Charlier, com dez páginas escritas por Giraud.

 



Mike "John Wayne" Blueberry

Em "Angel Face", volume 17, publicado em 1975, quadrinho 3 da prancha 4, Jean Giraud se inspirou em John Wayne, de "The Horse Soldiers" ("Marcha de Heróis", título no Brasil; “Os Cavaleiros”, em Portugal; “Les Cavaliers”, na França), filme sobre a Guerra de Secessão, dirigido por John Ford, lançado em 1959, para desenhar Mike Blueberry, fugitivo, se trajando novamente de militar do exército estadunidense.


Na história “Angel Face”, Jean-Michel Charlier se inspirou no atentado contra John Kennedy, em Dallas, Texas, que culminou no assassinato do Presidente dos Estados Unidos da América, em 1963, para escrever o atentado contra o presidente Ulysses Grant, em Durango, Colorado. Um antigo amor do político, Guffie Palmer, irrompe, já ferida por Marmaduke O'Saughtnessy, mais conhecido por "Angel Face" ("Cara de Anjo"), tentando salvar o presidente do tiro do pistoleiro envolvido em um complô contra Grant, em cenas da mesma prancha em cuja aparece Mike "John Wayne" Blueberry.



The Cavalry Charge

Jean Giraud se inspirou na pintura The Cavalry Charge (A Carga da Cavalaria), óleo sobre tela, 130 x 76,50 cm, de Frederic Remington, realizada em 1907, exposta no The Metropolitan Museum of Art, Nova York, Estados Unidos da América, para desenhar a capa de "Cavalier Bleu" ("Cavaleiro Azul", inédito em português), terceiro volume da série "La Jeunesse de Blueberry" ("A Juventude de Blueberry"), publicado em 1979, com roteiro de Jean-Michel Charlier.



O detalhe, da pintura a óleo, utilizado na capa do álbum.


“Nez Cassé”

No álbum “Nez Cassé” (“Nariz Partido”), publicado em 1980, no quadrinho 4 da prancha 20, Jean Giraud desenhou a águia, a ser capturada, morta e despenada por Tsi-Na-Pah (“Nariz Partido”, em Apache, apelido dados pelos índios a Mike Blueberry), inspirado em uma fotografia da revista “National Geographic”. Blueberry, então desertor do exército americano e vivendo em uma aldeia indígena, daria as penas da águia para Chini, filha de Cochise, chefe Apache Chiricahua, de cuja ele era pretendente a noivo e o seu rival, Vittorio, aparece na mesma página, espionando um forte militar, com a intenção de roubar um vestido de "squaw" branca e uma "caixa de moer o tempo" para a jovem e da bela índia disputada pelos dois.


"La Longue Marche"

A influência do pintor Henry Farny sobre o trabalho de Jean Giraud é notada na ilustração da capa do álbum "La Longue Marche", Éditions Fleurus, 1980. Fonte: Alexander, Pauillac, França.



"Blueberry. Special guest stars"

Jean Giraud homenageia o seu antigo mestre Joseph Gillain, em arte Jijé, em "Naissance" ("Nascimento"), história curta de uma página, realizada em 1981, publicada na revista "Tintin" nº 331, de 12 de janeiro de 1982, edição francesa, pelos 10 anos do personagem Buddy Longway, de Derib, e depois em "Les amis de Buddy Longway", Éditions du Lombard, 1983, uma homenagem de 31 autores - Edouard Aidans, Bédu, Michel Blanc-Dumont, Cosey, Dany, Deliège, Derib, Dupa, Ernat, F'Murr, René Follet, Frannz, Giraud, Godard, Annie Goetzinger, René Hausman, Hermann, Lambil e Cauvin, Macherot, Jean-Claude Mézières, Peyo, Renoy, Roba, Rosinski, Jean-Claude Servais, Tibet, Turk e De Groot, Walthéry, Wasterlain - a Buddy Longway. Na narrativa, Giraud promove o encontro de Blueberry com Red Dust (de "Comanche", roteiro de Greg e desenhos de Hermann) e Buddy Longway (roteiro e desenhos de Derib) em frente ao rancho de Jerry e Cornelia Spring, pelo nascimento do filho do casal. Jerry Spring é um personagem de Jijé, em cujas pranchas Giraud o auxiliou, e o nome do rancho, grafado na placa da porteira, Bar JG Ranch, também alude ao desenhista belga – às iniciais do seu nome, J. G., ou de Jijé e Gir.



Mike "Martin Kove" Blueberry

Jean Giraud se inspirou no rosto do ator estadunidense Martin Kove, no filme "Karate Kid", para aquele de Mike Blueberry no cartaz do álbum “La Tribu fantomê" (“A Tribo Fantasma”), volume 20, editora Hachette, 1982.




Mike "Charlton Heston" Blueberry

Jean “Mœbius” Giraud amou o cinema e trabalhou nele: fez o storyboard do primeiro "Tron", o figurino de "O Quinto Elemento", "O Abismo", entre outras incursões na Sétima Arte. Além de fonte de inspiração, o desenhista francês faz uma homenagem ao cinema em "Blueberry", que é considerada uma HQ cinematográfica. Mais uma mescla da Sétima com a Nona Arte: "Arrowhead" (“O Último Guerreiro”, título no Brasil; “O Apache Branco”, em Portugal; “Le Sorcier du Rio Grande”, na França), filme dirigido por Charles Marquis Warren, lançado em 1953, com Charlton Heston e Jack Palance, e “Blueberry”, portfólio publicado, em 1983, pelas edições Gentiane.



Red Neck, Blueberry e Jimmy McClure

A ilustração, feita por Jean Giraud, com os três companheiros (da esquerda para a direita: Red Neck, Blueberry e Jimmy McClure), extraída do "Portfolio Blueberry", Gentiane, 1983, teve como fotografia de referência Don Terry, Lon Chaney Jr. e Noah Beery Jr. em "Overland mail" (Universal, 1942).



Mike "Charlton Heston" Blueberry

Em 1984, Jean Giraud fez uma ilustração de Blueberry inspirada novamente em Charlton Heston, dessa vez com o ator atuando em "Will Penny" ("E o Bravo Ficou Só", título no Brasil; “Will Penny, le solitaire”, na França), lançado em1968; a mesma cena foi utilizada no cartaz do filme dirigido por Tom Gries.




Jean Giraud realizou outra ilustração, de Blueberry, também inspirada em Charlton Heston no filme "Will Penny".



Mike "Martin Kove" Blueberry

A fotografia de referência, do ator Martin Kove, reduzida em serigrafia, por Jean Giraud, em uma ilustração publicada na capa do livro "L'Univers de Gir", publicado por Dargaud Éditeur, em 1986.




Mudando para história em quadrinhos europeia, o ator Martin Kove contou como, durante seus dias de “Cagney & Lacey”, ele quase chegou a estrelar a versão cinematográfica do Tenente Blueberry, que, apesar do som de seu título, era uma história em quadrinhos western, adulta e séria, extremamente popular fora da França. Como tantas vezes acontece, o script que foi desenvolvido não tinha nada a ver com a história em quadrinhos, e o projeto morreu na poeira. Fonte: Blog Henry’s Western Round-up, 3 de agosto de 2014.

Martin Kove com uma pintura do Tenente Blueberry.


Blueberry no Grand Canyon

Jean Giraud desenhou Blueberry tocando violão no Grand Canyon e se inspirou na própria formação natural para a paisagem da ilustração, que foi publicada por Dargaud Éditeur em "L'Univers de Gir", 1986.



"Le bout de la piste"

A ilustração, de Jean Giraud, para a  capa do álbum "Le Bout de la piste" ("O Fim da Pista"), 1986, e sua versão em aquarela.



Monument Valley

O Monument Valley, localizado na fronteira entre o Arizona e o Utah, nos Estados Unidos, inspirou Jean Giraud para a realização da capa do álbum “Le Bout de la piste” (“O Fim da Pista”), cuja história se passa no México e no Utah.


Um cavalo, no Monument Valley, em uma imagem muito parecida com aquela da capa do álbum "Le Bout de la piste", o qual foi lançado inicialmente pela editora Novedi (Bruxelas, Bélgica), na época em que Charlier e Giraud decidiram não publicar “Blueberry” com a Dargaud (Paris, França); depois de algum tempo, os direitos autorias de publicação voltaram para a editora francesa, em cuja permanecem até os dias atuais.



"O Fim da Pista"

Quando Jean Giraud faleceu, em março de 2012, eu usei, para homenageá-lo, a ilustração inspirada no quadrinho 4 da prancha 37 de "O Fim da Pista" ("Le Bout de la piste", 1986), que também mostra os trilhos de uma ferrovia e um poste do telégrafo. Eu pesquisei, nos álbuns blueberryanos, e constatei que existe uma cena com os três companheiros, no último quadrinho de "General Cabeça Amarela" ("Général Tête Jaune", 1971), que é mais parecida do que aquela de "O Fim da Pista", cujo enquadramento é mais acima; portanto, a ilustração é uma mescla dos dois quadrinhos.


O último quadrinho de "Général Tête Jaune" e a ilustração inspirada em um quadrinho de "Le Bout de la piste".

O quadrinho 4 da prancha 37 de "O Fim da Pista" ("Le Bout de la piste", 1986) que inspirou a ilustração de Jean Giraud, cuja eu considero que foi uma mistura desse quadrinho com o último do episódio "General Cabeça Amarela", conforme exposto no texto inicial.



"Vera Cruz"

Jean Giraud se inspirou em Gary Cooper, ao lado de Burt Lancaster, em “Vera Cruz”, filme de 1954, dirigido por Robert Aldrich, para compor as cenas com Blake, um dos inimigos de Blueberry, nos Complôs contra Grant, nos quadrinhos 1 e 6 da prancha 17 do episódio "Le Bout de la piste" ("O Fim da Pista").



"General Golden Mane"

O ator estadunidense Kevin Costner, em uma cena do filme "Dança com Lobos" ("Dances with Wolves", 1990, dirigido por ele próprio e ganhador de sete estatuetas da Academia de Artes de Hollywood), inspirou Jean Giraud no visual do General Allister para a capa americana de "General Golden Mane" (“Général Tête Jaune” - "General Cabeça Amarela"), publicado pela editora Epic em 1991.




"Arizona Love"

Lilly Calloway, uma das namoradas de Mike Blueberry, mais conhecida por Chihuahua Pearl, retorna na história "Arizona Love", 1990, cuja capa foi inspirada, por Jean Giraud, nos cartazes e imagem, com Clark Gable e Vivien Leigh, do filme "Gone wich the wind" ("E o Vento Levou", título no Brasil), dirigido por Victor Fleming, lançado em 1939.




O terceiro casamento de Chihuahua Pearl

Lily Calloway era casada com o Coronel Trevor, oficial confederado, antes de conhecer o Tenente Blueberry. Em "L'Homme qui valait 500.000$", volume 14 da série "Blueberry", publicado em 1973, a bela loira, agora também conhecida por Chihuahua Pearl, se casaria com o Coronel Lopez, governador do Estado de Chihuahua, México, para chegar até o seu marido - ela própria interrompe a cerimônia matrimonial, realizada na igreja de Chihuahua, e foge. Em "Arizona Love", volume 23, 1990, para o terceiro casamento de Pearl - dessa vez com Duke Stanton, rico empresário do setor ferroviário -, Jean Giraud se inspirou na igreja do Old Tucson Studios e na Saint Augustine Cathedral, ambas localizadas em Tucson, Arizona, Estados Unidos da América, para desenhar a igreja de Tacoma, Novo México, Estados Unidos da América.







O segundo casamento interrompido de Chihuahua Pearl

Na história "Arizona Love" ("Arizona Love"), Mike Blueberry entra, a cavalo, na igreja de Tacoma, Novo México, interrompe a cerimônia do casamento de Chihuahua Pearl e Duke Stanton e sequestra a noiva. Jean Giraud se inspirou no Monument Valley para compor parte do cenário da fuga da dupla de ex-namorados, que são perseguidos por um grupo liderado pelo furioso Duke Stanton.




"Mike "Blueberry" Donovan e os Sichinovi, cerca de 1901" 

Para a nova página de guarda da série "Blueberry", publicada em "Arizona Love", álbum lançado, em 1990, pela editora Alpen Publishers, Jean Giraud fez o desenho "Mike "Blueberry" Donovan e os Sichinovi, cerca de 1901" inspirado em uma fotografia da época, substituindo o segundo índio, no centro da imagem, por Blueberry, mudando somente a cabeça. A fotografia foi feita por Adam Clark Vroman (1856-1916), fotógrafo americano.



O Mexicano

A ilustração da capa de "Pilote" nº 566, de 10 de setembro de 1970, anunciando a estréia do episódio "Chihuahua Pearl", na revista semanal, foi reprisada por Jean Giraud, na serigrafia "Adiós Charro", publicada pela editora Stardom, em 1994.



Mike "James Garner" Blueberry

O rascunho e a capa do álbum "Mister Blueberry", escrito e desenhado por Jean Giraud, e as imagens de referência de James Garner, na série televisiva "Maverick", em cuja o ator interpreta um elegante jogador de pôquer. A fala de Blueberry - "Não tão rápido, Jimmy!" - é uma provável homenagem ao ator: Jimmy, apelido para James.





Mister JMC

Em "Mister Blueberry", surge John Meredith Campbell, personagem criado por Jean Giraud para uma homenagem a Jean-Michel Charlier. Além dos nomes com as mesmas iniciais, JMC, ambos são escritores - o personagem é jornalista em Boston e o criador literário do Tenente mais amado do Oeste é o maior roteirista de Bande Dessinée francófona -, biógrafos de Blueberry, apreciadores de charutos e de contar uma boa história para os seus leitores.

Mister JMC. À esquerda: Jean-Michel Charlier. À direita: John Meredith Campbell.




Julho de 1881. O trem, vindo de Denver, Colorado, chega a Tucson, Arizona, trazendo Mister Campbell e Billy Parker, seu assistente (uma homenagem de Jean Giraud a si próprio?), que, em seguida, viajariam até Tombstone, em uma carroça, para escrever a biografia de Mister Blueberry. 


"La Dernière carte"

Jean Giraud se inspirou no primeiro quadrinho de "La Dernière carte" ("A Última Cartada"), 1983, para realizar o pôster da Stardom Éditeur, 1995, em cujo Blueberry, Jimmy McClure e Red Neck chegam a Chihuahua, capital do Estado mexicano de Chihuahua, na fronteira com os Estados Unidos, cidade na qual Lily Calloway, aliás, Chihuahua Pearl, se apresentava em um saloon.



Giraud inspira Giraud

Em 1995, Jean Giraud redesenhou a rua principal de Palomito, pequena cidade da Fronteira - onde Blueberry foi xerife, auxiliado por Jimmy McClure -, no Arizona, que aparece no primeiro quadrinho da história “La Mine de l’Allemandu perdu” ("A Mina do Alemão Perdido"), para a página de guarda de "Mister Blueberry", primeiro álbum do ciclo Mister Blueberry – também chamado de ciclo Tombstone e de ciclo O.K. Corral -, cuja foi utilizada nos demais álbuns da série "Blueberry".




Dorée Malone

 


Jean Giraud admirava a beleza de Dorothy Malone (1925-), atriz estadunidense, cuja homenageou com o nome da personagem Dorée Malone, cantora do saloon Dunhill, no ciclo Mister Blueberry.

 






Johnny Ringo

A inspiração, de Jean Giraud, para Johnny Ringo, em "Mister Blueberry", 1995, foi o personagem real (1850-1882), que teve sete anos de atividade, como pistoleiro, e era parceiro de Ike Clanton, no Território do Arizona, de 1881-1882.

 
Johnny Ringo, no Ciclo O. K. Corral (publicado no Brasil pela Panini Comics), foi contratado por Mister Strawfield, o poderoso de Tombstone, banqueiro desonesto, que, no final do ciclo, fugiu com o dinheiro dos clientes do seu banco. O pistoleiro, na história em quadrinhos, além de matador de aluguel, é um psicopata, assassino em série, autointitulado "filho do Dragão Vermelho", pai imaginário criado pelo ele próprio, sequestrador de Dorée Malone, a atual namorada de Blueberry, que, após libertar a amada, oferecida em sacrifício ao "Dragão Vermelho", mata, em um duelo na cocheira da cidade, o "filho" da imaginária entidade.


"Rio Bravo"

A inspiração, de Jean Giraud, para “Rio Bravo”, um encarte da livraria Le fantôme espagnol para o álbum “Mister Blueberry”, em 1995, com Blueberry e Chihuahua Pearl, teve como inspiração uma cena de “Rio Bravo” ("Onde Começa o Inferno", título no Brasil), filme dirigido por Howard Hawks, lançado em 1959, com John Wayne e Angie Dickinson.


"Blueberry, o Cavaleiro Solitário"


Em 1996, Jean Giraud desenhou Mike Blueberry inspirado em Clint Eastwood, interpretando o Pregador, no filme "Pale Rider" ("O Cavaleiro Solitário", título no Brasil; “O Justiceiro Solitário”, em Portugal; “Le Cavalier solitaire”, na França), dirigido pelo próprio Clint Eastwood, lançado em 1985.



Mike Steve Blueberry Northern Montana 1880

A fotografia de referência para o desenho Mike Steve Blueberry Northern Montana 1880 feito por Jean Giraud, em 1996, publicado em "Blueberry's", Stardom Éditeur, 1997. O rosto de Mike Steve Blueberry substituiu aquele do cowboy sentado à esquerda.

 


Cowboys 1882 Blueberry shoeing "Old Fiddler"

Jean Giraud pode ter se inspirado, em 1996, em uma fotografia para fazer a ilustração Cowboys 1882 Blueberry shoeing "Old Fiddler" publicado em "Blueberry's", Stardom Éditeur, 1997.


À esquerda: Black Smith shop with Harvey shoeing the horse (Black Smith, em seu estabelecimento, com Harvey, colocando ferradura em cavalo). À direita: Cowboys 1882 Blueberry shoeing "Old Fiddler".



À esquerda: Shoeing a horse (Colocando ferradura em cavalo), entre 1929 e 1932. À esquerda: Black Smith shoeing horse outside his shop (Black Smith, fora de seu estabelecimento, colocando ferradura em cavalo), 1890.


"Ombres sur Tombstone"

Jean Giraud se inspirou na pintura “The Savage Taunt”, de Franck C. Mc Carthy, 1973, para a capa de “Ombres sur Tombstone” (“Sombras sobre Tombstone”), álbum publicado em 1997.



Blueberry em Paris

1997, por ocasião da estreia de “Ombres sur Tombstone” (“Sombras sobre Tombstone”), uma "caça ao dahu" foi organizada em Paris com a participação de oito livrarias parisienses. O dahu existe: se tratava de um portfolio em cujo se deveria reunir as oito pranchas coloridas, indo de uma livraria a outra. A primeira compra dava direito à cobertura do portfolio. Nessa ocasião, Jean Giraud se inspirou em Joseph Gillain e em si próprio, conforme veremos a seguir.

Livraria Fantasmagories
Referência visual: a capa de "Forte Navajo" por Jijé.


Livraria Nation
"A Mina do Alemão Perdido", quadrinho 2 da prancha 19.


Livraria Temps libre
"Angel Face", quadrinho 5 da prancha 21.


Livraria Album
"A Longa Marcha", quadrinho 4 da prancha 38.


 


Livraria La comète de Carthages
"A Tribo Fantasma", quadrinho 2 da prancha 19.


Livraria D'images
"A Última Cartada", quadrinho 7 da página 18.


Livraria Super héros
"O Fim da Pista", quadrinho 6 da página 16.


Livraria Korrigan's
"Mister Blueberry", quadrinho 2 da página 41.


O dahu é uma criatura lendária bem conhecida na França, Suíça e norte da Itália; um animal selvagem imaginário que vive em regiões montanhosas - a caça ao dahu é uma tradição desses locais. Abaixo, uma fotomontagem representando um dos aspectos do dahu. Fonte: Wikipédia.



"Gerónimo l'Apache"

A inspiração, de Jean Giraud, para a capa do álbum "Gerónimo l'Apache" ("Gerônimo, o Apache"), volume 26 da série "Blueberry", publicado por Dargaud Éditeur, em 1999, foi o próprio Geronimo, famoso chefe Apache Chiricahua (1829 - 1909), cujo nome, em sua língua nativa, era Goyaałé, que significa "O que boceja".



Abaixo: a capa do álbum e fotografias do chefe. Fonte: Alexander, Pauillac, França.



"Coming Through the Rye"

O quadrinho 9 da prancha 33 do álbum "Gerónimo l'Apache" (“Gerônimo, o Apache”), publicado por Dargaud Éditeur, em 1999, mostra a cena, em Tombstone, com Wyatt Earp, ladeado por Doc Holliday e Morgan Earp, seu irmão, dando ordem de parar aos cowboys baderneiros do rancho Bar T, que foram inspirados, por Jean Giraud, naqueles de "Coming Through the Rye", escultura de bronze feita por Frederic Remington, pintor, ilustrador, escultor e escritor americano, em 1902. Fonte: Alexander, Pauillac, França.



"The Bronco Buster"

No quadrinho 1 da prancha 12 do álbum "Gerónimo l'Apache" (Gerônimo, o Apache”), há ainda uma clara inspiração das esculturas de Frederic Remington, dessa vez "The Bronco Buster". Fonte: Alexander, Pauillac, França.



"Moby Dick"

Jean Giraud escreveu e desenhou a história "Geronimo, l'Apache" (“Gerônimo, o Apache”), na qual Blueberry, acamado, se recupera do ferimento causado por uma bala disparada, covardemente, na sua costa, recordando quando conheceu Gerônimo, o famoso chefe Apache, fumando charutos, jogando cartas e lendo livros, entre os quais "Moby Dick", escrito por Herman Melville, publicado em 1851, e o título, na capa, é visto no terceiro quadrinho da página 11B. Na página 19B, Dorée Malone, a última namorada blueberryana, bela morena de olhos verdes, também cantora como Chihuahua Pearl, encontrando o livro, pergunta a Mike se Gerônimo seria a sua baleia branca, cuja resposta foi a seguinte: "Vermelha! Vermelha como o sangue!".



Blueberry inspirado em Blueberry

A histórica ilustração das contracapas dos álbuns da série “Blueberry” foi refeita, por Jean Giraud, mudando somente o Tenente Blueberry. Atualmente, a ilustração original, à esquerda, não é mais publicada nas contracapas dos álbuns blueberryanos.




Abaixo: outra ilustração inspirada naquela histórica das contracapas da série "Blueberry".

 


Blueberry "Steelfingers"

Jean Giraud se inspirou na capa americana do álbum "Steelfingers", publicado pela Epic Comics em 1991, para realizar aquela de "OK Corral", volume 27 da série Blueberry, lançado pela Dargaud Éditeur em 2003.




O Duelo do O.K. Corral

Para o Duelo do O.K. Corral, em “Dust” ("Dust"), álbum publicado em 2005, Jean Giraud se inspirou em cenas do filme “Tombstone” (“Tombstone. A Justiça Está Chegando”), 1993, escrito por Kevin Jarre e dirigido por George Pan Cosmatos, com Kurt Russell (Wyatt Earp), Val Kilmer (Doc Holliday), Sam Elliot (Virgil Earp), Bill Paxton (Morgan Earp), Stephen Lang (Ike Clanton), Thomas Haden Church (Billy Clanton), John Philbin (Tom McLaury), Robert John Burke (Frank McLaury), Michael Biehn (Johnny Ringo). Personagens históricos presentes no Ciclo Tombstone de “Blueberry”, em cujo Giraud chama Morgan Earp de Simon Earp - os Irmãos Earp, filhos, homens, de Nicholas Porter Earp e Virginia Ann Cooksey eram cinco: James, Virgil Walter, Wyatt Berry Stapp, Morgan Seth e Warren Baxter Earp, dos quais três estavam presentes no famoso duelo de Tombstone: Virgil, Wyatt e Morgan.




Blueberry no Monument Valley

Mais uma vez Jean Giraud se inspirou no Monument Valley para realizar uma ilustração de Blueberry. O Monument Valley é uma região dos Estados Unidos da América, situada na Reserva Indígena dos Navajos, aonde se localiza o monumento As Quatro Esquinas, que marca as fronteiras de quatro Estados e é comum a Arizona, Colorado, Novo México e Utah.




Mike "Clint Eastwood" Blueberry

Clint Eastwood, em seu filme genial "Unforgiven" ("Os Imperdoáveis) de 1992, para ver e rever, está na fotografia de referência desse retrato de Blueberry, feito por Jean Giraud, visto na exposição "Fou et cavalier", em 2008, no Espace Cortambert, Paris, França.



Blueberry e Tex Willer

Em 2008, Jean Giraud desenhou Tex Willer, para Fabio Civitelli, desenhista do Ranger do Texas, inspirado em Blueberry de um tríptico de três retratos blueberryanos, litografado impresso em papel acid-free, tamanho de 54 cm x 24 cm, edição limitada, originalmente usado para promover uma exposição em 1996.




Giraud inspira Mœbius

Arzak, personagem criado por Mœbius, o outro eu de Jean Henri Gaston Giraud, aliás, Gir, como ele assinava história em quadrinhos western, e Blueberry, personagem criado por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud, jogando xadrez no cartaz da Exposição Fou et Cavalier, 2008, ilustrado por Mœbius, a sua assinatura em histórias em quadrinhos de ficção científica.



Arzak © Mœbius, Mœbius Productions, Glénat
Blueberry © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur
Blueberry’s © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Stardom, 1997
Epic Graphic Novel: Lieutenant Blueberry 2 - Steelfingers. Story and Art Copyright © Dargaud Éditeur, Jean-Michel Charlier and Jean Giraud 1967. Translations and Text Copyright © Starwatcher Graphics 1991
Epic Graphic Novel: Lieutenant Blueberry 4 - General Golden Mane. Story and Art Copyright © Dargaud Éditeur, Jean-Michel Charlier and Jean Giraud 1971. Translations and Text Copyright © Starwatcher Graphics 1991
Epic Graphic Novel: Marshal Blueberry 1 – The Lost Dutchman’s Mine. Story and Art Copyright © Dargaud Éditeur, Jean-Michel Charlier and Jean Giraud 1972. Translations and Text Copyright © Starwatcher Graphics 1991
L’Univers de Blueberry © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur, 1986
La Jeunesse de Blueberry © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, François Corteggiani, Colin Wilson, Michel Blanc-Dumont, Dargaud Éditeur
Les Aventures de Buck Danny © Georges Troisfontaines, Jean-Michel Charlier, Victor Hubinon, Jacques de Douhet, Francis Bergèse, Éditions Dupuis
Lucky Luke © Morris, Dargaud Éditeur
Tex Willer © Sergio Bonelli Editore

Agradecimento a Louis-Hughes Jacquin pela colaboração.

Afrânio Braga


12 comentários:

  1. Se inspirar em algo ou filme, ou buscar referencias fotográficas são válidas. Na epoca, acho que ele pensou: "Vou copiar isto aqui e esta cena do filme, porque ninguem vai ficar sabendo mesmo." So que naquele tempo não existia a internet.

    ResponderExcluir
  2. O blog estar excepicional Afrânio, são tantas as informações, que eu particularmente, vou ve-las de uma por uma, para ver com mais atenção cada conteúdo das postagens!!!

    ResponderExcluir
  3. Noossa,muito interessante a matéria.Mais informativa até mesmo que o conteúdo da Wikipedia.Achei muito interessante o blog.

    ResponderExcluir
  4. அருமையான முயற்சி நண்பரே - Tamil Nadu, India. Superb research work friend! thanks for this efforts!

    ResponderExcluir
  5. ஒரே வார்த்தையில் சொல்வதானால்..... அட்டகாசம்!!!

    ResponderExcluir
  6. Caros Carlos Brandino, Luiz Willer e Jefferson Silva de Almeida,
    eu agradeço a vossa participação e vos convido a continuar cavalgando nas trilhas do blog Blueberry, cujo, mensalmente, apresentará novidades sobre o Tenente e também sobre o Velho Oeste.

    Dears John Simon C and Rummi XIII,
    thanks for your kind words.
    Best regards from the Amazon.

    ResponderExcluir
  7. Excelente post, dificilmente se encontrará essas mesmas referências em outros sites espalhados por aí.

    ResponderExcluir
  8. É um material extremamente interessante e com observações muito pertinentes. Eu tenho um site na internet sobre gibis e que aborda, inclusive, a relação entre gibis e filmes, de uma forma diferente, ou seja, além de abordar o universo de gibis, publica e comenta gibis baseados em filmes e séries de TV (http://70-anos-de-gibis.webnode.com) e estou colocando nele uma informação sobre este valioso material, de forma que os internautas que acessarem meu site possam acessar todas estas informações. Parabéns pelo trabalho realizado. Realmente muito bom. Abraços, afonso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado José, eu acessei o seu site e parabenizo o seu excelente trabalho.
      Eu agradeço a divulgação dessa postagem no site e solicito que divulgue o blog em si através do seu link da página inicial: http://blueberrybr.blogspot.com.br/
      Abraço.

      Excluir
    2. Caro Afrânio,
      já fiz o ajuste da informação em meu site sobre o link da página inicial.
      Na verdade hoje, ao acessar de novo seu material, eu o li todo novamente. Realmente, caro amigo, vc fez um trabalho excelente. Parabéns mais uma vez.
      Eu sempre me impressiono com a qualidade dos quadrinhos (BD) franco-belgas. São excepcionais, de uma riqueza sem tamanho. E no meu site eu procuro sempre promovê-los. É pouco o que faço, mas sem dúvida possibilita sempre que outros tenham conhecimento dessas incríveis produções.
      Sobre essa questão da "inspiração" considero extremamente elegante a forma como vc coloca a matéria, sem juízo de valor e sempre ressaltando o aspecto "homenagem". Vi um comentário de um internauta dizendo que Jean Giraud poderia ter feito uma "cópia" acreditando que ninguém percebesse, mas como hoje existe a internet, isso veio à tona.
      Sinceramente, não acredito nisso. A capacidade criativa de Giraud era de tal magnitude que só poderíamos imaginar o aspecto da homenagem a atores, diretores, personagens e até a ele próprio !!! Ele não precisava de ações desse tipo; conseguia desenhar um quadrinho em segundos, algo impressionante.
      abrs. meu amigo, felicidades com seu trabalho. Muito bom.

      Excluir
    3. Caro José,
      eu agradeço, novamente, a divulgação do blog Blueberry em seu excelente site.
      Eu acredito que Jean Giraud sabia que o público poderia ter conhecimento das suas fontes para as inspirações blueberryanas, afinal eram, justamente, de conhecimento público, como cartazes de filmes, fotografias de época, obras de outros artistas gráficos e plásticos.
      Há outras inspirações de Charlier e Giraud, uma dupla genial, para o Tenente Blueberry. Entretanto, eu estou sempre desenvolvendo mais postagens para o blog, e todas requerem muita pesquisa e tempo.
      Eu agradeço também os seus elogios incentivadores à continuidade do blog.

      Excluir