segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Jean Giraud, desenhista, colorista e roteirista

Jean Giraud e Blueberry.

Biografia

Jean Giraud nasce em 8 de maio de 1938, em Nogent-sur-Marne, França. Em seguida ao divórcio de seus pais, três anos mais tarde, Jean é, em parte, educado pelos seus avós. À idade de 15 anos, ele começa a estudar nas Arts Appliqués (1), e é nesse período, ali, que começa sua grande paixão pela ficção científica.

Em 1956, aparecem suas primeiras ilustrações e pranchas nas revistas “Far West”, “Fripounet et Marisette”, “Ames vaillantes”, “Cœurs vaillants”. Convocado para as forças armadas, Giraud presta seu serviço militar na Alemanha, depois na Argélia.

Ele encontra Jijé e se torna seu aluno em 1958. Pouco tempo depois, Jijé confia a Giraud a realização de algumas pranchas de “Jerry Spring” (“La Route de Coronado”), publicadas em “Spirou”.

Em 1963, “Hara Kiri” publica as primeiras pranchas de um jovem desconhecido, Mœbius, pseudônimo de Giraud. No fim de outubro, em “Pilote”, ele cria, dessa vez sob o nome de Gir, com Jean-Michel Charlier, a série “Fort Navajo”. Dito de outro modo, Blueberry é nascido. O primeiro volume das aventures de Blueberry aparece em 1965. Gir multiplica as ilustrações de ficção científica.

Enquanto as pedras das calçadas voam no Quartier Latin, em 1968, Blueberry se prepara para tirar licença do exército. No ano seguinte, “La Mine de l’Allemand perdu” (2) sai em “Pilote”, seguido de “Le Spectre aux balles d’or” (3).

Enquanto que o sucesso de Blueberry vai crescendo, Gir recomeça a desenhar, a partir de 1973, em um estilo totalmente diferente, as histórias sob o nome de Mœbius.

O mesmo Mœbius participa de “L’Écho des savanes”. O lançamento do “Bandard fou”, em 1974, de Mœbius, coincide com aquele em álbum de “Ballade pour un cercueil” (4), de Charlier e Giraud, volume guarnecido de uma longa biografia de Blueberry.

Em seguida a uma divergência com seu editor, em 1975, Gir interrompe, durante quatro anos, a realização de “Blueberry”, após o álbum “Angel Face” (5). A revista “Métal Hurlant” é criada por Mœbius, Druillet, Dionnet e Farkas. Les Humanoïdes Associés veem igualmente o dia. O talento de Mœbius começa a explodir com Arzach.

O álbum “Les Yeux du chat” (6), lançado em 1978 por Humanoïdes Associés, marca o início da colaboração entre Alexandro Jodorowsky e Mœbius.

Ele cria “Jim Cutlass”, em 1979, com Jean-Michel Charlier. Mœbius trabalha também para o cinema: ele desenha o figurino de “Alien”, de Ridley Scott.

Em 1980, sai “Nez Cassé” (7), sequência tão aguardada das aventuras de Blueberry. Uma colaboração abortada com Jodorowsky (uma adaptação cinematográfica de “Dune”) desemboca sobre a criação de uma série desenhada, “Les Aventures de John Diffol” (8), ou “L’Incal” (9). Mœbius é no presente também célebre como Giraud.

Mœbius preside o júri do Salon de la BD de Angoulême, em 1982, e participa igualmente do filme de René Laloux, “Les Maîtres du temps”. Em 1983, ele se instala, com seu estúdio, no Tahiti, em seguida muda-se para Los Angeles, no ano seguinte.

Ele cria, em Paris, a editora Aedena, que publica as coletâneas de ilustrações de Mœbius. Quase simultaneamente, Starwatcher é criada: sociedade que assegura a tradução da obra de Mœbius, que é publicada pela prestigiosa Marvel Comics.

Em 1985, Mœbius trabalha, em Tóquio, no script, nos cenários e no figurino do filme “Little Nemo”. Giraud, quanto a ele, recebe, por “Blueberry”, o prêmio das Arts Graphiques (10). Ele é consagrado “melhor artista das artes gráficas” pelo ministro francês da Cultura da época, Jack Lang, e é condecorado com a Ordre des Arts et des Lettres (11) por François Mitterrand.

Ele adapta, em história em quadrinhos, o livro original “La Ferme des animaux” (12) de George Orwell. Em seguida, em 1987, ele colabora no filme americano “Willow”, de George Lucas e Ron Howard.

No ano seguinte, Giraud regressa a Paris, onde se instala com Isabelle. Ele realiza igualmente para a Marvel um episódio do mítico “Surfer d’argent” (13), sobre um roteiro de Stan Lee. Jamais um autor francês tem conhecido tal consagração além-Atlântico.

Embora ele trabalhe também em “Abyss” (14), de James Cameron, isso não o impede em nada de retornar a viver na França. No cinema, ele concebe igualmente, em 1997, os cenários do filme “Le Cinquième Elément” (15) de Luc Besson.

A série “Blueberry”, que havia retomado, em 1979, paralelamente às atividades múltiplas de Mœbius, está sob choque: Jean-Michel Charlier falece em 1989. Giraud decide prosseguir, sozinho, a série, assegurando doravante roteiro e desenho.

Melhor, ele lança em breve outra série, “Marshal Blueberry”, desenhada por William Vance, mas em cuja ele assegura igualmente os textos. Só a coleção “La Jeunesse de Blueberry” (16), desenhada por Colin Wilson (antes de ser retomada por Michel Blanc-Dumont) é confiada a outro autor, François Corteggiani.

Ele começa, em 1992, uma nova série de três volumes, em colaboração com Jodorowsky, “Le Cœur Couronné”, editado por Humanoïdes Associés.

Em 1997, sua esposa, Isabelle, reprossegue a editora/galeria Stardom, tornada hoje Mœbius Productions. Eles editam conjuntamente livros, serigrafias, cartazes em edição valiosa e limitada, consagrados à obra do artista. Mœbius Productions organiza suas exposições no mundo inteiro, e o desenhista é associado a diversas manifestações de arte contemporânea.

Em 1999, uma atração entorno da obra “Garage Hermétique” é inaugurada em San Francisco.

No mesmo ano, a Fondation Cartier pour l’art contemporain (17), em Paris, dedica a ele um espaço da exposição “Un monde réel”, onde é apresentada uma coletânea de pinturas abstratas. Em 2000, uma grande exposição presta homenagem a Giraud/Mœbius no Musée de la Bande Dessinée d’Angoulême (18). Em 2004, a Monnaie de Paris e a Mœbius Productions organizam uma exposição reunindo a obra de Mœbius e aquela do desenhista japonês Hayao Miyazaki e põe a ênfase na comparação entre esses dois artistas maiores. Em 2003, estreia nas telonas “Blueberry, l’expérience secrète” (19), filme, de Jan Kounen, inspirado no díptico composto por “La Mine de l’Allemandu perdu” e “Le Spectre aux balles d’or”, reeditado para a ocasião em grande formato e sob o título “Les Monts de la Superstition”.

No ano seguinte, sai “Icare”, desenhado por Taniguchi, pelas edições Kana. Ele trabalha igualmente no 28º álbum de “Blueberry”, “Dust”, que sai, em 2005, pela Dargaud.

Ele colabora, em 2007, com a série cult “XIII” desenhando o volume 18, intitulado “La Version irlandaise”, sob um roteiro de Jean Van Hamme.

Em 2008, Jean Giraud participa da realização de uma nova atração do Parc du Futuroscope, “La Citadelle du Vertige”, inspirada no universo de “Garage hermétique”.

Mais recentemente, Jean Giraud publica “Arzak, l’arpenteur” e “Les Carnets” – “Major” e “Faune de Mars”, lançados respectivamente, em 2010 e 2011, por Mœbius Productions.

De outubro de 2010 a março de 2011, a Fondation Cartier pour l’art contemporain, em Paris, é a anfitriã da grande exposição “Mœbius Transe Forme”. Um sucesso maior da Mœbius Productions e da fundação.

Ele falece, em Paris, em 10 de março de 2012, à idade de 74 anos.

N. C.: 1) Arts Appliqués: Artes Aplicadas; 2) “La Mine de l’Allemand perdu”: “A Mina do Alemão Perdido”; 3) “Le Spectre aux balles d’or”: “O Espectro das Balas de Ouro”; 4) “Ballade pour un cercueil”: “Balada para um Caixão”; 5) “Angel Face”: “Angel Face”; 6) “Les Yeux du chat”: “Os Olhos do Gato”; 7) “Nez Cassé”: “Nariz Partido”; 8) “Les Aventures de John Diffol”: “As Aventuras de John Diffol”; 9) “L’Incal”: “O Incal”; 10) Arts Graphiques: Artes Gráficas; 11) Ordre des Arts et des Lettres: Ordem das Artes e das Letras; 12) “La Ferme des animaux”: “A Fazenda dos Animais” ou “A Revolução dos Bichos”; 13) “Surfer d’argent”: “Surfista Prateado”; 14) “Abyss”: “O Segredo do Abismo”; 15) “Le Cinquième Elément”: “O Quinto Elemento”;   16) “La Jeunesse de Blueberry”: “A Juventude de Blueberry”; 17) Fondation Cartier pour l’art contemporain: Fundação Cartier para a Arte Contemporânea; 18) Musée de la Bande Dessinée d’Angoulême: Museu da História em Quadrinhos de Angoulême; 19) “Blueberry, l’expérience secrète”: “Blueberry, Desejo de Vingança”, no Brasil.


Bibliografia

1995 Altor - Les Seigneurs force
1990 Altor - Le Secret d'Aurélys
1986 Altor - Le Cristal majeur
1998 Altor - Sur l'Ile de la licorne
1992 Altor - Les Immortels de ShinKara
1999 Altor - Les Voies du temps
1995 Monographies, livres d’études - Il était une fois Blueberry
2007 XIII – La Version irlandaise
1975 La Jeunesse de Blueberry - La Jeunesse de Blueberry
1978 La Jeunesse de Blueberry - Un Yankee nommé Blueberry
1979 La Jeunesse de Blueberry - Cavalier bleu
1991 Marshal Blueberry - Sur ordre de Washington
1993 Marshal Blueberry - Mission Sherman
2001 Marshal Blueberry - Frontière sanglante
1965 Blueberry - Fort Navajo
1966 Blueberry - Tonnerre à l'Ouest
1967 Blueberry - L' Aigle solitaire
1968 Blueberry - Le Cavalier perdu
1969 Blueberry - La Piste des Navajos
1969 Blueberry - L' Homme à l'étoile d'argent
1970 Blueberry - Le Cheval de fer
1970 Blueberry - L' Homme aux poings d'acier
1971 Blueberry - La Piste des Sioux
1971 Blueberry - Le Général Tête jaune
1972 Blueberry - La Mine de l'Allemand perdu
1972 Blueberry - Le Spectre aux balles d'or
1973 Blueberry - Chihuahua Pearl
1973 Blueberry - L'Homme qui valait 500.000$
1974 Blueberry - Ballade pour un cercueil
1974 Blueberry - Le Hors-la-loi
1975 Blueberry - Angel Face
1980 Blueberry - Nez Cassé
1980 Blueberry – La Longue marche
1982 Blueberry – La Tribu fantôme
1983 • Blueberry – La Dernière carte
1986 • Blueberry – Le Bout de la piste
1990 Blueberry - Arizona Love
1995 Blueberry - Mister Blueberry
1997 Blueberry - Ombres sur Tombstone
1999 Blueberry - Geronimo l'Apache
2003 Blueberry - OK Corral
2003 Blueebrry – Les Monts de la Superstition
2005 Blueberry – Dust
2007 Blueberry - Apaches
2012 Blueberry l’Intégrale tome 1
2013 Blueberry l’Intégrale tome 2
2015  Blueberry l’Intégrale tome 3
2015  Blueberry l’Intégrale tome 4
2015 • Blueberry tome 24 Mister Blueberry N&B
2015 • Blueberry tome 25 Ombres sur Tombstone N&B

N. C.: Álbuns publicados por Dargaud Éditeur.

Fonte dos textos: Dargaud Éditeur, Paris, França.
Fonte da imagem: Bienpublic: Jean Giraud e Blueberry.


As capas dos álbuns das séries “Blueberry” e “La Jeunesse de Blueberry” desenhados por Jean Giraud
Roteiros de Jean-Michel Charlier: de “Fort Navajo” a “Le Bout de la pista” e os três volumes de “La Jeunesse de Blueberry”.
Roteiro de Jean-Michel Charlier e Jean Giraud: “Arizona Love”.
Roteiros de Jean Giraud: de “Mister Blueberry” a “Dust”.
















As capas dos álbuns fora de série de Blueberry desenhados por Jean Giraud

“Les Monts de la Superstition”
Especial pelos 40 anos de Blueberry 1963 - 2003
Roteiros de Jean-Michel Charlier



“Apaches”
Roteiro de Jean Giraud



Fontes das imagens: Lamediatheque-jeumont: pôster das capas dos álbuns das séries “Blueberry” e “La Jeunesse de Blueberry” desenhados por Jean Giraud; Dargaud Éditeur: as capas de "Ombres sur Tombstone", “Les Monts de la Superstition” e “Apaches”.

Blueberry © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur
La Jeunesse de Blueberry © Jean-Michel Charlier, Jean Giraud, Dargaud Éditeur


Exposition Mœbius Transe Forme
Fondation Cartier pour l’art contemporain
De 12 de outubro de 2010 a 13 de março de 2011
Paris, França































A capa e algumas ilustrações do catálogo da Exposition Mœbius Transe Forme

Capa.


Blueberry.


Arzak.


Blueberry.


Fonte das imagens: Fondation Cartier pour l’art contemporain. Fotografias de Olivier Ouadah; Designboom: ilustrações do catálogo da exposição (Blueberry e Arzak).

Exposition Mœbius-Transe-Forme © Fondation Cartier pour l’art contemporain, Moebius Production 2010

Afrânio Braga


Nenhum comentário:

Postar um comentário