sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Homenagem a Jijé


Homenagem a


Joseph Gillain, aliás, Jijé, participou de “Blueberry” fazendo a ilustração da capa da revista “Pilote” nº 210, de 31 de outubro de 1963, quando do lançamento de “Fort Navajo”, como foi chamada inicialmente a série do Tenente Blueberry; auxiliando o seu ex-discípulo Jean Giraud, também conhecido por Gir e Mœbius, nos episódios “Tonnerre à l’Ouest” (“Tempestade no Oeste”) e “Le Cavalier perdu” (“O Cavaleiro Perdido”); e desenhando a ilustração da capa de “Fort Navajo” (“Forte Navajo”), o primeiro volume da saga blueberryana.

 

Ele foi roteirista, desenhista e colorista, realizando numerosas histórias em quadrinhos, como “Baden Powell”, “Jerry Spring”, “Spirou et Fantasio”, “Valhardi” e “Tanguy et Laverdure”, com o pseudônimo Jijé, que é a pronúncia das iniciais do seu nome – J. G.. No ano do seu centenário (1914 – 2014), o blog Blueberry, uma Lenda do Oeste faz uma homenagem a esse grande mestre da bande dessinée franco-belga e mundial, que dedicou toda a sua vida à arte sequencial, a 9ª arte.

Afrânio Braga



JIJÉ
Desenhista e colorista

Biografia

Joseph Gillain, dito Jijé, é nascido, a 13 de janeiro de 1914, em Gedinne, Bélgica.

Desenha desde a infância.

Estudos tumultuosos: 3 anos de Ourivesaria e de História, em Maredsous.

Um ano na Académie de Charleroi, onde um de seus professores, Van den Houten, de cujo ele tem guardado a lembrança, era inimigo de todo formalismo – “Você deve aprender a desenhar como os Orientais. Sem olhar para seu papel. Unicamente o tema. Dessa maneira, o olho viverá a forma, e a mão torna-se uma servidora submissa.”.

Inicia na pintura, escultura, publicidade. E história em quadrinhos aos 20 anos. Ele é um “ourives” de colocá-la em página e um excelente biógrafo. Casado aos 23 anos. Cinco crianças, numerosos pequenos e netos.

Primeiras colaborações, em 1939, em “Spirou”: “Freddy Fred”, “Le Mystère de la cité Hindoue”, “Trinet et Trinette”. E em “Petit Belge”, as três primeiras aventuras de “Blondin et Cirage”.

Convocado em 1939. Prisioneiro de guerra, em 1940, por um dia. Fuga burlesca. Ele se instala em Iouant, uma propriedade hortense.

Fim de 1940, ele retoma a série “Les aventures de Spirou”, criada por Rob-Vel. Ele faz um papel de homem-orquesta da revista durante 4 anos: desenhando “Spirou”, “Don Bosco”, em 1941, “Valhardi”, com “Fantasio”, em 1944. E as conexões de séries americanas: “Superman” e “Red Rider”. E continua “Blondin et Cirage”.

Após a guerra, ele fez equipe com Franquin, Morris, Will. Ele cede “Spirou” a Franquin.

Em 1948, grande viajante, ele parte com sua família (4 crianças) ao México, durante um ano, depois aos Estados Unidos da América até julho de 1950. Durante essas estadias, ele desenha “Baden Powell”.

No seu retorno à Europa, penetrado pelas paisagens grandiosas do Oeste americano, ele começa um longo western, sem cessar em evolução, em melhoria: “Jerry Spring”, em 1954.

Ele adapta também “Blanc Casque”, história vivida por Joseph Pirot, missionário belga no Canadá, e “Blanc Casque”, um emigrante húngaro.

Em 1956, ele recupera “Valhardi”, cujas aventuras se desenrolam então nas corridas automobilísticas, ou entorno de temas da atualidade.

Em 1966, em retoma “Tanguy”, criada por Uderzo e Charlier. Com os telefilmes, ele adapta os personagens ao físico de Jacques Santi e Christian Marin. Conjuntamente, eles fazem turnês em grandes cidades, com um enorme sucesso. Nessa série, o talento de Jijé atinge toda sua plenitude.

Em resumo, Jijé foi um trabalhador obstinado em história em quadrinhos, como também na pintura, que ele não abandonara nunca, ficando com um bom lugar entre os pós-impressionistas.

Ele nos deixou em 19 de junho de 1980.


Bibliografia

Barbe-Rouge – Intégrales
1997 – Les Disparus du Faucon Noir

Les Aventures de Tanguy et Laverdure – Intégrales
2000 – Tome 7: La mystérieuse Escadre Delta
2003 – Tome 3: Cap Zéro
2004 – Tome 4: Menace sur Mururoa
2004 – Tome 5 : Lieutenant Double-Bang
2004 – Tome 6: La Terreur vient du ciel

Fonte: Dargaud Éditeur, Paris, França.

N. C.: Bibliografia composta por integrais publicados por Dargaud Éditeur.


BIBLIOGRAFIA

Roteirista

França

Aventures de l'âge d'or, 1981
Baden Powell, 1950 a 1990
Blanc Casque, 1982
Blondin et Cirage, 1946 a 1985
Charles de Foucauld, 1959 a 2005
Christophe Colomb, 1946 a 1993
Clef hindoue (La), 1947 a 1973
Don Bosco, 1944 a 1990
El Senserenico, 1982
Étrange destin de Bernadette (L'), 1979 a 2008
Jerry Spring, 1955 a 2014
Jerry Spring, 1958 a 1986
Jerry Spring (Collection Spéciale grand format), 1974 a 1975
Jerry Spring (Collection Spéciale grand format), 1974
Jerry Spring (L'intégrale en noir et blanc), 2010 a 2011
Jojo (Jijé), 1937 a 1980
Sitting Bull (Jijé), 1982
Spirou et Fantasio, 1986
Spirou et Fantasio, 1952 a 1993
Spirou et Fantasio - La collection, 2013
Spirou et Fantasio -2- (Divers), 1948 a 2010
Trinet et Trinette, 1983 a 1984
Valhardi, 1958 a 1982
Valhardi (Série récente), 1980 a 1982

Espanha

Jerry Spring (Integral en Blanco y Negro), 2011


Desenhista

França

Aventures de l'âge d'or, 1981
Aventures de l'âge d'or, 1980
Baden Powell, 1950 a 1990
Barbe-Rouge, 1979 a 1984
Barbe-Rouge, 1972 a 1979
Barbe-Rouge (L'intégrale), 1997 a 2005
Blanc Casque, 1956 a 1982
Blondin et Cirage, 1946 a 1985
Blueberry, 1966 a 1968
Blueberry - La collection (Hachette), 2013
Boule et Bill, 1990
Charles de Foucauld, 1959 a 2005
Christophe Colomb, 1946
Clef hindoue (La), 1947 a 1973
Docteur Gladstone, 1979
Don Bosco, 1944 a 1990
El Senserenico, 1982
Emmanuel, 1946 a 1987
Enquêtes du commissaire Major (Les), 2012
Étrange destin de Bernadette (L'), 1979 a 2008
Jerry Spring, 1955 a 2014
Jerry Spring (Collection Spéciale grand format), 1974 a 1975
Jerry Spring (L'intégrale en noir et blanc), 2010 a 2012
Jojo (Jijé), 1937 a 1980
Sitting Bull (Jijé), 1982
Spirou (La Véritable histoire de), 2013
Spirou et Fantasio, 1988
Spirou et Fantasio, 1952 a 2003
Spirou et Fantasio - La collection, 2013
Spirou et Fantasio -2- (Divers), 1948 a 2010
Spirou et Fantasio -6- (Int. Dupuis 2), 2013
Tanguy et Laverdure, 1981
Tanguy et Laverdure, 1968 a 2006
Tanguy et Laverdure (16/22), 1978 a 1980
Tanguy et Laverdure (Intégrale), 1997
Tanguy et Laverdure (Intégrale), 1998 a 2004
Tout Jijé, 1991 a 2010
Trinet et Trinette, 1983 a 1984
Valhardi, 1943 a 1982
Valhardi (Série récente), 1980 a 1986

Alemanha

Tanguy und laverdure (die abenteuer von) (integral), 2011
Tanguy und laverdure (die abenteur von), 1994 a 2004

Espanha

Jerry Spring (Espagnol), 1979
Jerry Spring (Integral en Blanco y Negro), 2011


Colorista

França

Barbe-Rouge, 1982
Jerry Spring, 1978 a 1988
Tanguy et Laverdure, 1970 a 1974
Tanguy et Laverdure (Intégrale), 1998 a 2004


Outras colaborações

França

(Recueil) Spirou (Album du journal), capa, 1942
Blueberry, capa, 2010
Blueberry - La collection (Hachette), capa, 2013


Documentos, monografias, biografias

França

(AUT) Franquin, 1969
(AUT) Franquin, 1969 a 2001
(AUT) Jijé, 1972 a 2014
(DOC) Biografias, entrevistas, estudos..., 1981

Fonte: Bedetheque.


Jerry Spring

O tema

“Jerry Spring” é um western. Atenção: esse não é um western de cinema, com atores interpretando os cowboys e outros os índios, é a verdadeira vida do Oeste, com os verdadeiros cowboys e os verdadeiros índios. Todos os detalhes são cuidados. Os vestuários dos personagens são muito realistas (as roupas dos índios são notáveis). O ambiente das casas do Oeste é perfeitamente reproduzido. As imagens são esplêndidas. O aspecto humano das histórias é muito importante. O herói, cowboy tradicional, tem por amigo um mexicano. Ele defende o povo indígena e a nação negra.

“Jerry Spring” tem servido de modelo a numerosos outros westerns em histórias em quadrinhos e, em particular, a “Blueberry”.




Os autores

O criador da série é Joseph Gillain, que a assina sob o pseudônimo Jijé. Em seguida, vários roteiristas o tem auxiliado: Maurice Rosy, René Goscinny, Acquaviva, Jacques Lob, Dubois, Philip. Gir, o autor de “Blueberry” em “Pilote”, tem participado no episódio “La route de Coronado”.

Com a morte de Jijé, em 1980, a série se interrompe. Ela prossegue, em 1990, com os desenhos de Franz e um roteiro de Festin.


Os personagens

Jerry é o herói. Ele possui um cavalo vermelho: Ruby. É um herói que não hesita em se sujar para resolver os problemas, contrariamente aos cowboys habituais, que são sempre impecáveis, mesmo após uma briga. Ele é amigo dos oprimidos, que ele respeita.

Pancho é mexicano. Jerry o encontra nas primeiras páginas de sua primeira aventura. Como todo mexicano que se respeita, ele ama a tequila e a sesta. Isso não impede de ser fiel a seu amigo e de ajudar muito nas situações difíceis.

Fonte: BDoubliess.




Quand Gillain raconte Jijé
Autor: François Deneyer
Coleção: Dupuis "Patrimoine"
Gênero: Outro olhar Documentário / Biografia
Idade do leitorado: Adolescente – adulto; a partir de 12 anos
Estado da série: Terminada
Álbum cartonado - 400 páginas em cores
Lançamento e preço: Bélgica e França: 21/02/2014; EUR 45,00
Editora: Dupuis
Local: Bruxelas, Bélgica




Após vários anos de pesquisa, no mundo inteiro, para coletar croquis, desenhos, pinturas e originais de Jijé, François Deneyer nos propõe uma soma inédita consagrada à obra de um dos pais da bande dessinée. Tudo de uma vez, antologia, monografia e biografia, esse belo livro ilustrado, de aproximadamente 400 documentos, entre os quais numerosos inéditos, dá a palavra ao próprio Gillain, através de uma seleção de entrevistas que ele tem dado completamente ao longo de sua carreira.

Organizada entorno de vários temas, na imagem da carreira de Jijé ("Premiers pas", "Spirou", "Les westerns", "Dessins humoristiques", "Les femmes", "La peinture", "Le métier de dessinateur"), esse belo trabalho feito incontestavelmente referência para a obra desse mestre da bande dessinée franco-belga.

Fonte: Dupuis.
Quand Gillain raconte Jijé © François Deneyer, Dupuis 2014


Exposição Jijé Joseph Gillain




A exposição é visível de 3 de dezembro de 2013 a 3 de agosto de 2014 na La Maison de la Bande Dessinée, Bruxelas, Bélgica.

Fonte: La Maison de la Bande Dessinée.
Exposition Jijé Joseph Gillain © La Maison de la Bande Dessinée 2013


Exposição De Joseph Gillain à Jijé... Sur les traces namuroises d’artiste wallon




O convite da exposição De Joseph Gillain à Jijé... Sur les traces namuroises d’artiste wallon, ocorrida, de 15 de março a 23 de abril de 2014, no Centre d’Interprétation de la Maison Languillier, em Gedinne, Bélgica, por ocasião da comemoração do centenário do artista valão.


Homenagem a Jijé assinada por Derib, Gir e Hermann






Derib, Jean Giraud e Hermann homenageiam a Jijé, aliás, Joseph Gillain, representado por Jerry Spring e Pancho, com, respectivamente, Buddy Longway, Mike Blueberry (de “Blueberry”, roteiro de Jean-Michel Charlier) e Red Dust (de “Comanche”, roteiro de Greg).


















Fonte das imagens: live2times: autocaricatura de Jijé. bedetheque: capas de “Pilote” nº 210 e “Blueberry” nº 1. spiroufr: fotografia de Joseph Gillain. plan90: convite da exposição De Joseph Gillain à Jijé... Sur les traces namuroises d’artiste wallon. Mister Jacq: homenagem a Jijé assinada por Derib, Gir e Hermann. planbd: contracapa de álbum “Jerry Spring”, Dupuis, anos 1980. La Maison de la Bande Dessinée: fotografia de Joseph Gillain, anos 1960.


4 comentários:

  1. Muito bom esse seu post, Afrânio, digno da genialidade de Jijé! Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Prezado JoguL,
    eu agradeço as suas gentis palavras ao artigo sobre o mestre Jijé, um dos gigantes da história em quadrinhos, como roteirista, desenhista e colorista.
    O seu trabalho inspirou e continuando sendo fonte de inspiração para outros autores da 9ª arte. Partir às pradarias celestiais com 66 anos de idade foi muito cedo para ele e os admiradores do seu excepcional talento.

    ResponderExcluir
  3. Achei o seu artigo muito bom, completíssimo o seu trabalho. Achei excelente!

    P.S: Esse álbum mostrado foi o primeiro Blueberry que li em criança.
    Cumprimentos, Manuel Nascimento

    ResponderExcluir
  4. Prezado Manuel Nascimento,
    muito obrigado por suas palavras incentivadoras ao meu trabalho de pesquisa a ser compartilhado no blog, cujo continua a expor muitas novidades sobre a 9ª Arte, o western e o Velho Oeste.
    O seu primeiro "Blueberry" foi "Forte Navajo", justamente o primeiro volume da série. Eu comecei a ler as aventuras do Tenente Mike Blueberry no álbum que tem por título o seu apelido dado pelos índios, "Nariz Partido" - "Tsi-Na-Pah", em apache.
    Cordiais saudações desde a Amazônia.

    ResponderExcluir